A BNCC e a Infância

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC), é o documento que define os direitos que todos os alunos da educação básica têm de aprender. É obrigatória e deve ser incluida no currículos da rede pública e privadas.

Espera-se que a BNCC ajude a superar a fragmentação, das politicas educacionais. É fundamental mencionar as competências gerais da educação, no que é proposto para as três etapas da Educação Básica ( Educação Infântil, Ensino Fundamental e Ensino Médio), tornando possível a construção do conhecimento, do desenvolvimento das habilidades e na formação e valores segundo a LDB.

As Competências Gerais da BNCC

As competências Gerais da BNCC acompanham o desenvolvimento dos alunos desde a Educação Infantil até o Ensino Médio

  1. Conhecimento – Valorizar e utilizar o conhecimento fundado sobre o mundo físico, cultural e digital.
  2. Pensamento científico crítíco e criativo – Praticar os estudos e questionamentos, que levem a reflexão a análise crítica a imaginação e a criatividade para investigar causas e elaborar e testar hipóteses , criar soluções com base naquilo que foi aprendido em diferentes áreas.
  3. Repertório cultural – Valorizar e Fluir manifestações artísticas e culturais, das locais as mundiais e também participar de práticas diversificadas da produção artístico-cultural.
  4. Comunicação – Utilizar diferentes línguagens,verbal( ou visual- motora, com libras e escritas), Corporal, Visual, sonora e digital
  5. Cultura Digital compreender, utilizar e criar, tecnologias digitais de informação, e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética, nas diversas práticas sociais.
  6. Trabalho e Projeto de Vida argumentar com base em fatos, dados e informações confiáveis para questionar e defender ideias, com base em direitos humanos consciência sócio ambiental e o consumos responsável, em âmbito local, regional e global.
  7. Argumentação Argumentar com bases em fatos, dados a informações confiáveis, para formular, negociar e defender ideias pontos de vistas e decisões comum que respeitem e promovam os direitos humanos, a consciência socio ambiental e o consumo responsável, em âmbito local, regional e global, com posicionamento, ético com relação ao cuidado com sigo mesmo, dos outros e do planeta.
  8. Autoconhecimento e Autocuidado Conhecer-se, apreciar-se e cuidar da sua saúde física e emocional, compreendendo-se na diversidade humana e reconhecendo suas emoções, e as dos outros, com autocrítica e capacidade de lidar com elas.
  9. Empatia e Cooperação – Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos, e a cooperação, fazendo-se respeitar e promovendo o respeito do outro e aos direitos humanos, com acolhimento e valorização da diversidade, sem preconceito de qualquer natureza.
  10. Responsabilidade e Cidadania – Agir pessoal e coletivamente com autonomia, com responsabilidade, flexibilidade, resiliência, e determinação, tomando decisões com base, em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.

Segundo o manual da BNCC, os campos de experiências propõe uma organização curricular que considera  como bebês e crianças pequenas aprendem e se desenvolvem a partir do seu conhecimento adquirido do dia a dia .  São cinco os campos de experiências:

  • O eu, o outro e o nós – É se relacionando que a criança passa a compreender o espaço dela com adultos e crianças, entendendo que existe outras formas de pensar, modos de vida diferentes e a identificar como as pessoas são diferentes em toda sua forma de ser. Dentro dos direitos de aprendizagem nesse campo de experiência podemos citar: conviver > com crianças e adultos em pequenos grupos aprendendo a identificar as diferenças e respeitá-las. Brincar> com pessoas diferentes, em diferentes contextos. Explorar > se relacionando com várias pessoas, tornando possível o convívio em outros grupos de amizade.
  • Corpo, Gesto e Movimento destaca-se experiências diversificadas, em gestos, mímicas e movimento. O corpo, gesto e movimentos fazem parte da linguagem corporal em que os bebês desde muito cedo adquire e os orienta em sua relação com o mundo. Nesse caso a escola deverá promover oportunidades que levem as crianças a vivenciarem situações que torne possível elas a se movimentar, realizar gestos, conhecer seu próprio corpo, aprender a utilizar a expressão corporal.
  • Traços, sons, cores e formas a curiosidades das crianças contribui para sua exploração, conhecer outros ambientes, outras texturas e diversificar outras possibilidades. Nesse campo de experiências será voltada para a expressividade das artes visuais (principalmente, no desenho, na pintura e na escultura. São Direitos de aprendizagem nesse campo de experiência: > Conviver em meio a sua comunidade tendo acesso a cultura, danças, pintura, escultura e aos diversos tipos de arte. > Brincar com diversos tipos de brinquedos, texturas, formas, cores, objetos e se dá ao direito de viver novas experiências em teatros. > Explorar diversas possibilidades ter novas experiências, combinações, recursos tecnológicos, música e teatro. > Participar, de discussões sobre a organização do ambiente e atividades que gerem autonomia e confiança, pois identificar que a sua opinião é valorizada é algo que produzirá autoconfiança e contribuirá para a formação do seu caráter.
  • Escuta, fala, pensamento e imaginação Desde de quando nascem as crianças se relacionam e se expressão por meio a linguagem corporal, olhar, postura, sorriso e choro. Na educação infantil é fundamental que as crianças tenham liberdade em ouvir, falar, ser criativo, dar lugar a imaginação. O professor deverá provocar nos alunos suas potencialidades, que os leve a escuta, a fala, a criar e imaginar. Pode ser realizado leituras, de contos, poemas, histórias que estimule sua capacidade de imaginar, conversar sobre os relatos das histórias e participar de debates os levando a ter nova visão de mundo.
  • Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações. o desejo de conhecer e aprender coisas novas, é algo estimulante para as crianças. Sempre que é possível construir um ambiente diferente, trabalhar com decoração, artesanato, pintura, em espaços diferentes explorar novas descobertas contribuirá para o desenvolvimento da criança. No campo de experiências “espaços, tempos, quantidades, relações e transformações,” traz a reflexão ao educador em como fornecer possibilidades para investigar as muitas questões onde os alunos vão percebendo o mundo e a si mesmas. Nessa nova etapa, a educação infantil levará o aluno a questionar, analisar, realizar pesquisas. Dessa forma as escolas contribuirá fornecendo meios para que o aprendizado ocorra.

Os campos de experiências acredita que através das práticas sociais e culturais, pode se contribuir para uma aprendizagem significativa, através de um currículo que proporcione na rotina da creche, diversidade de brincadeiras, recursos, profissionais bem preparados e práticas pedagógicas direcionadas para o processo de ensino e aprendizagem.

Cabe ao professor

  • Mediar criando situações onde as crianças aprendam a se relacionar, respeitar o outro, dividir, saber esperar a vez do outro e reconhecer o espaço do outro na relação e expressar afeto, gratidão e empatia.
  • Apoiar as crianças quanto ao se descobrir o seu lugar no mundo, construir sua autoestima, autonomia, confiança e se reconhecer em grupos como étnico – racial, religioso e regional.
  • Fortalecer os vínculos familiares e levá-las a identificar as heranças culturais e como elas influência em sua vida.
  • Incentivar as crianças a refletir sobre a injustiça racial, a importância de não apegarmos aos preconceitos e respeitar o próximo e construir bons valores.
  • Construir com as crianças a consciência de cuidar do bem estar físico e mental, através de boa alimentação e exercício físico.
  • Construir com as crianças o costume de cuidar do meio ambiente e realizar reciclagens.

Referências Bibliográficas