Método Paulo Freire

Paulo Reglus Neves Freire

(1921-1997) Foi educador, escritor e filósofo, nascido em Recife, se formou em Direito, depois atuou como professor da língua portuguesa, foi um dos maiores educadores reconhecido internacionalmente, foi idealizador, revolucionário na educação de jovens e adultos. Em 1960 Paulo Freire se torna referência na educação popular. 

Tendo criado um método inovador de alfabetização, aplicou seu método inicialmente no Centro de Cultura Dona Olegarinha, no Movimento de Cultura Popular, o método foi aplicado a cinco alunos, entre eles três alunos aprenderam a ler e escrever em 30 horas e os outros dois desistiram antes de concluir. Em Janeiro em 1963, em 45 dias foram alfabetizados 300 trabalhadores, João Goulart, presidente do Brasil na época, chamou Paulo Freire para organizar o Plano Nacional  de Alfabetização. Esse projeto teve início em 1964 e tinha como objetivo alfabetizar dois milhões de pessoas em 20.000 círculos de cultura. Mas com o golpe de estado no Brasil em 1964 esse projeto foi abortado. E em seu lugar surgiu o movimento Brasileiro de Alfabetização.

Método Paulo Freire

 É um método bem positivo e inovador, pois tem como proposta alfabetizar adultos no menor prazo possível. Foi desenvolvido pelo educador Paulo Freire em 1962, quando alfabetizou um grupo de 300 cortadores de cana em apenas 45 dias sem o auxílio de cartilha, que é o sistema mais comum de alfabetização, pois Freire não apoiava esse tipo de ensino crendo que este método segue um sistema de repetição de palavras similares ou que concordam entre si. Exemplo: o boi baba, Eva viu a uva, a ave voa, o navio navega, o cachorro corre.

Etapas do Método

  • Etapa de Investigação. O professor, junto com os alunos, vai falar de temas e palavras do cotidiano, o “universo” dos alunos, o meio e a cultura em que vive e aquilo que é relevante pra ele.
  • Etapa de Tematização. É o momento da tomada de consciência do aluno. É quando percebe o significado das palavras do mundo e da relação que há em tudo que existe.
  • Etapa de Problematização. etapa onde o professor confronta o aluno procurando inspirá-lo a ter uma visão crítica e consciente do mundo.

Método Palavras Geradoras

São utilizadas conversas informais, o educador observa o vocabulário dos alunos e seleciona de 18 a 23 palavras geradoras e os direciona a montar essas palavras e temas com o auxílio de cartazes e imagens.

Método da Silabação

É onde serão estudadas as divisões silábicas, exemplo: Ta, Te, Ti, To, Tu.

Método da Conscientização

 São discutidos temas sociais com a intenção de conscientizar e passar as informações corretas sobre esses assuntos, exemplo: Tema: prevenção de acidentes domésticos; usa esse tema para informar como se prevenir e como agir em caso de ocorrer esse tipo de acidente.

Todos esses  métodos citados podem contribuir com a alfabetização a partir do comprometimento e dedicação do profissional que aplica-los  é bem provável conseguir obter sucesso. A partir do nosso comprometimento com a sociedade, nós podemos ajudar também, mesmo quem não é um profissional da área  pode contribuir como voluntários em alguma escola ou mesmo ajudando a alguém que deseja ser alfabetizado, para isso precisa apenas do desejo, ação e através de simples atitudes podemos ajudar fazendo a diferença.

O Método

O processo proposto por Paulo Freire, inicia valorizando o contexto de vida e conhecimento de seus alunos. Através de conversas informais Paulo Freire identificava o vocabulário dos alunos e da comunidade utilizando suas palavras mais usuais  como base para as lições. 

A silabação: A partir do momento que ele identificava as palavras geradoras para a aprendizagem de seu aprendente e passa ser estudada através da divisão silábica. Cada sílaba se desdobra em sua respectiva família silábica, com a mudança da vogal. ( i,e , BA, BE, BI, BO , BU)

As Palavras novas: Essa etapa consiste na formação de palavras novas usando as famílias silábicas agora conhecidas, o grupo forma palavras novas.

A conscientização : O ponto fundamental do  método é a discussão sobre os diversos temas que aparecem a partir das palavras geradoras. Para Paulo Freire, alfabetizar não pode se restringir aos processos de codificação e decodificação. Dessa forma, o objetivo da alfabetização de adultos é promover a conscientização acerca dos problemas cotidianos, a compreensão do mundo e o conhecimento da realidade social.

As fases de aplicação do método

A aplicação do método têm cinco fases seguidas:

  1. Fase:Levantamento do universo vocabular do grupo. Nessa fase ocorrem as interações de aproximação e conhecimento mútuo, bem como a anotação das palavras da linguagem dos envolvidos no grupo, respeitando seu regionalismo típico.
  2. Fase: Escolha das palavras selecionadas, seguindo os critérios de riqueza fonética, em uma sequência da mais simples para a mais complexas, do comprometimento pragmático da palavra na realidade social, cultural da sua comunidade. 
  3. Fase: Criação das situações existenciais características do grupo diz respeito às situações inseridas na realidade local, que devem ser questionadas com o objetivo de obter um novo olhar onde se possibilite a análise crítica consciente de problemas locais, regionais e nacionais. 
  4. Fase: Criação das fichas-roteiro que têm como objetivo selecionar passo a passo os debates que deverão servir como subsídios, sem no entanto seguir uma prescrição rígida.
  5. Fase: Criação de fichas de palavras para a decomposição das famílias fonéticas correspondentes às palavras geradoras.

Paulo Freire valorizava o pensamento crítico, defendia que o aluno têm o direito de questionar, refletir e expor seu ponto de vista, ele acreditava em uma educação que habilita o indivíduo a ter uma consciência crítica. E que eles podem ser autores de sua própria história. Ele acreditava que o processo de educação ocorre quando professor e aluno aprendem juntos, o educador dizia que “Ninguém ensina nada a ninguém, mas as pessoas não aprendem sozinhas”.

Freire, em 2012 foi considerado patrono da educação brasileira  é o que estabelece a lei nº 12.612 de 13 de abril de 2012. Freire dedicou grande parte de sua vida à alfabetização e à educação da população pobre.

Ele defendia que o objetivo da escola é ensinar o aluno a “ler o mundo” para poder transformá-lo. Ele acreditava que a educação é um processo constante de criação do conhecimento e da busca da transformação e reinvenção da realidade através da reflexão e ação humana. 

O educador, acreditava que educar estava além de passar conteúdos, para ele educar é se relacionar, é compartilhar, valorizando o conhecimento de cada um independente de sua classe social, regionalismo, religião e formação. Todos temos como contribuir para a realização desse processo.

O respeito por todas as classe foi uma marca do educador, a sua forma de se relacionar com professores e alunos, influenciava e estimulava a reflexão sobre a necessidade de estarmos abertos  a aprender o tempo todo, ele acreditava que o educador é um eterno aprendente, pois ninguém educa se não é educado.

Freire morreu, de um ataque cardíaco em 02 de maio de 1997, às 6h:43 no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, devido a uma complicação em uma operação de desobstrução de artérias. Mas o seu legado deixou sua marca na educação, na política de currículos , na sociedade brasileira e para a formação de educadores. Segundo ele   “a educação não muda o mundo, a educação muda as pessoas, as pessoas mudam o mundo”.

Pensamentos de Paulo Freire:

Referências Bibliográficas:

Paulo Freire é declarado o patrono da educação brasileira

http://portal.mec.gov.br/ultimas-noticias/222-537011943/17681-paulo-freire-e-declarado-o-patrono-da-educacao-brasileira

Método Paulo Freire  Wikipédia, a enciclopédia livre.

https://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%A9todo_Paulo_Freire

Paulo Freire, o mentor da Educação para a consciência

https://novaescola.org.br/conteudo/460/mentor-educacao-consciencia

Paulo freire Bibliografia

https://brasilescola.uol.com.br/biografia/paulo-freire.htm