Vamos aprender? Jogo e brincadeira na educação infantil

Foto por Kindel Media em Pexels.com

O jogo e a brincadeira infantil são formas da criança manejar experiências, criar situações para dominar a realidade e experimentá-la. Brincar se coloca num patamar importantíssimo para a felicidade e realização da criança, no presente e no futuro. Brincando, ela explora o mundo, constrói o seu saber, aprende a respeitar o outro, desenvolve o sentimento de grupo, ativa a imaginação e constrói sua auto realização.

O lúdico traz grande importância na vida do pedagogo, pois através de brincadeiras canções e jogos se possibilita o desenvolvimento de processos psíquicos por parte da criança, como também serve como instrumento para conhecer o mundo físico e finalmente, entender os diferentes modos de comportamento humano, Para que as brincadeiras infantis tenham lugar garantido no cotidiano das instituições educativas é fundamental a atuação do educador.

Nosso objetivo é suprir a necessidade do educador para realização das atividades e conteúdo que pode ser trabalhado em sala de aula.

Foto por Naomi Shi em Pexels.com


Para Vygotsky (1991) o brincar é essencial para o desenvolvimento cognitivo da criança, pois os processos de simbolização e de representação a levam ao pensamento abstrato.

Foto por Ketut Subiyanto em Pexels.com


Piaget
 (1998) diz que a atividade lúdica é o berço obrigatório das atividades intelectuais da criança, sendo, por isso, indispensável à prática educativa. … Já Vygotsky (1978) define o brinquedo como algo que preenche as necessidades da criança, o que significa entendê-lo como algo que motiva para a ação.

Foto por Michael Morse em Pexels.com

Segundo Montessori o brincar é o trabalho da criança. O objetivo da criança é a construção de si mesma.

‘Nunca ajude uma criança em uma tarefa que ela sente que pode realizar sozinha.’

A volta dos mortos- vivos

Disciplina: Educação Física

Ciclo: Ensino Fundamental

Faixa Etária: 6 a 11 anos

Assunto: Jogo morto tipo Jogos

Material: Bolas e recursos humanos

Objetivo: ” A volta dos mortos vivos” É uma adaptação do tradicional jogo da queimada que promove uma participação mais ativa das crianças durante toda sua duração. Trabalha coma as habilidades de arremesso e recepção da bola e a capacidade de se esquivar de um arremesso e recepção da bola e a capacidade de se esquivar de um arremesso. O espaço ideal para esse jogo é uma quadra de voleibol, ou seja, um retângulo de 9 por 18 metros, com uma linha central atravessando a lateral maior. E trabalhar a socialização.

Desenvolvimento:

O jogo é uma espécie de contrário da tradicional “queimada” As crianças são divididas em duas equipes com o mesmo número de participantes, sendo que apenas duas de cada equipe começam jogo dentro d seu próprio campo, representando os “vivos”, enquanto as demais ficam no “cemitério”, que é ao redor do campo adversário. Vai para o cemitério a criança que for acertada pela bola, portanto elas tem que procurar não se deixar ser atingida pela bola.

Gangorra

Disciplina: Educação Física

Ciclo: Series iniciais

Faixa etária: 4 a 6 anos

Assunto Jogo

Objetivo: desenvolver noção de equilíbrio, entendimento da importância do trabalho em grupo e a socialização.

Material: Bastão, recursos humanos.

Desenvolvimento:

Dois jogadores sentam-se, um de frente com o outro, e apoiam as plantas dos pés. Eles devem segurar um bastão com as duas mãos. Ao soar o sinal. eles devem puxar o bastão cada um para seu lado tentando tirar o amigo do chão. Aqueles que conseguem levantar um amigo. Troque os pares e começa de novo. Faça que as crianças sintam o peso do amigo que está na frente, observem a força que tem para fazer par levantá-lo, o musculo que se movem para que isso aconteça. Se você tiver um bastão grande, coloque três crianças de cada lado, o grupo que conseguir levanta o outro, ganha.

Quem é o fantasminha?

Disciplina: Educação Física ou no período de recreação.

Ciclo: Educação Infantil

Faixa etária: 4 a 6 anos

Assunto: Jogo

Material: Recursos humanos, lençol

Objetivo: Desenvolver a noção de espaço, desenvolver a atenção, noção de quantidade e trazer um momento de descontração para o aluno

Desenvolvimento:

Dividir a turma em duas equipes. Uma deverá sair do local. Dado o sinal, a equipe que estiver fora, mandará uma criança com um lençol. A equipe tentará descobrir quem é a criança escondida . Se acertar, marca dois pontos. Quem conseguir o maio número de pontos no final é o vencedor.

Dança dos Banquinhos ou Dança da cadeira

Disciplina: Educação Física

Ciclo: Educação infantil

Faixa etária 4 e 6 anos

Material: Recursos humanos e uma cadeira

Objetivo: Desenvolver coordenação motora

Desenvolvimento:

Fazer uma roda com um banquinho e em número inferior (-1) ao número de crianças participantes. Colocar uma música para tocar e todas começam a correr ou a dançar ao redor do banquinho, com a mão para trás, bem perto dele. Em dado momento, parar a música e cada criança deverá a sentar-se no banquinho que estiver mais próximo. Uma delas ficará sem assentar, devendo sair levando um banquinho. O jogo recomeça. Ganha a criança que conseguir.

JOGO DE RECURSO

Disciplina Matemática

Ciclo: Período de Alfabetização, podendo receber modificações para alunos de serieis posteriores.

Faixa Etária: 6 a 10 anos

Assunto: Jogo

Material: Papelão de 40 centímetros, pincel, tinta guache, um cubo de madeira dois dados.

Objetivo: Cálculo, conceito de correspondência entre quantidade e número e respeito a regras. Além de treinar a soma e conta com a sorte para chegar primeiro ao fim do tabuleiro. E trabalhar a socialização

Desenvolvimento:

Em um papelão quadrado de 40 centímetros de lado , trace um caminho. Para crianças de quatro anos, faça um trajeto reto de até 50 casas. Como elas ainda não conhecem bem os números, pinte as casas de seis cores diferentes e na sequência – as mesmas cores deve ter o dado, construído com um cubo de madeira. Nessa versão, a criança joga o do e salta para a primeira casa à frene com a cor correspondente. Dica de tema: levar o coelhinho à toca. Para os alunos de cinco e seis anos, o caminho pode ser sinuoso, em ziguezague, espiral ou circular, com 50 a 80 casas. Utilize dois dados numerados de um a seis para que eles somem os resultados antes de seguir o percurso. Crie regras para dificultar. Exemplo: se cair na casa vermelha, fique uma vez sem jogar. Dica de tema: viagem à lua. Para os maiores de 7 anos, o caminho pode ter 100 casas e bifurcações.

JOGOS PEDAGÓGICOS

Cores e sequencia lógica

Disciplina: Educação Artística

Ciclo: Educação Infantil

Faixa Etária: 4 a 6 anos

Assunto: jogos

Material: Fita adesiva, régua, lápis, tesoura, papeis coloridos, tinta guache, papel pardo, cartolina tampinhas de garrafa pet.

Objetivo: A princípio trabalhar a criatividade dos alunos, permitindo que eles mesmos confeccione o tabuleiro como também as peças utilizadas, deve-se permitir que eles produzem o material para construção da alta estima, desenvolvimento da criatividade, aprender utilizadas, deve-se permitir que eles produzem o material para construção da alta estima, desenvolvimento da criatividade, aprender utilizar vários tipos de materiais. O jogo em si trabalha a percepção, atenção, as cores, sequência lógica e pode trabalhar as formas geométricas.

Desenvolvimento:

Dependendo do conteúdo que o professor quiser trabalhar pode-se utilizar uma metodologia diferente. Porém independente do conteúdo é sugerido que permita que o próprio aluno construa o seu tabuleiro, fornecendo o material necessário e de maneira direcionada permitir que ele mesmo os faça. Depois de construído realizar campeonatos em sala, direcionados pelo professor. Pode-se usar como critérios: quadrado, retângulo, circula etc. Obs. : caso seja cobrado o reconhecimento das formas geométricas o conteúdo deve ser trabalhado em aula anterior.

Referencias Bibliográficas:

O Brasileirinho. Dicas de brincadeiras. Disponível em: https://www.obrasileirinho.com.br/

Blog Qdivertido. Disponível em: https://qdivertido.com.br/