Celso Cunha

Foto por Ksenia Chernaya em Pexels.com

Celso Ferreira Cunha

Nascido em 10 de maio de 1917 em Minas Gerais, graduou-se em letras e em literatura brasileira pela faculdade nacional de Filosofia pela faculdade nacional do Brasil, gramático, filósofo, e ensaísta brasileiro, filho de Tristão Ferreira da Cunha, e tio de Aécio Neves, foi revisor de texto da constituição federal de 1988.

A contribuição de Celso Cunha foi fundamental para o estudo dos cancioneiros, e imprescindível para o  conhecimento da origem e evolução da Língua Portuguesa. Escreveu três livros sobre os cancioneiros: O de Paay Gómez Charinho (1947), Joan Zorro (1949) e Matin Codax (1956). Medievalista consagrado, sua obra .

Contribuiu para o estudo da língua portuguesa, escreveu inúmeras gramáticas a começar pelo Manual de Português, de (1965); Gramática moderna e da Língua Portuguesa (1972); e a nova gramática de português contemporâneo  escrita em colaboração com Luís Filipe Lindley Cintra, da Universidade de Lisboa.

Além do magistério e da escrita, ocupou importantes funções públicas, recebeu diversos prêmios, e ainda hoje é homenageado, por ter deixado um legado para a língua portuguesa e para toda a sociedade.

Referências Bibliográficas:

  • Celso Ferreira Cunha.

https://www.academia.org.br/academicos/celso-ferreira-da-cunha/biografia