Transtorno Específico de Aprendizagem

A aprendizagem é algo estudado desde o século passado em busca de identificar como ela ocorre e quais são seus processos , muitos autores desenvolveram pesquisas, observações e criaram teorias, podemos citar: Skinner, Jean Piaget, Rogers. Ivan Pavlov entre outros e todos marcaram a história da educação deixando seu legado.

De acordo com o DSM V, o transtorno específico de aprendizagem é um transtorno de neurodesenvolvimento, com uma origem biológicas que é a base das anormalidades do nível cognitivo e são associadas com questões comportamentais.

Entre as característica podemos citar: 

  • Manifesta-se durante a escolarização normal ;
  • Falta de produtividade na escuta, na fala, na leitura, escrita e habilidades na matemática.
  • Pode ocorrer nos primeiros anos escolares;
  • Apresenta dificuldades na aquisição das habilidades para leitura, escrita e matemática;
  • São persistentes e crônicas mesmo depois da intervenção.
  • Em adultos déficit persistentes no letramento e na enumeração que se iniciam na infância e na adolescência, promovendo dificuldade na vida  acadêmica e profissional;
  • Dificuldade para ortografar;
  • Dificuldade de raciocínio; 
  • O desempenho das atividades acadêmicas estão abaixo da média para a idade;
  • Apresenta dificuldades de concentração;

É necessário uma investigação precoce visando melhorias que evitem prejuízos futuros; caso contrário pode ocasionar prejuízos a longo prazo  afetando vida acadêmica, evasão escolar, problemas psicológicos, problemas de baixa autoestima, problemas de saúde mental, desemprego e realização pessoal.

Os distúrbios e os transtornos são de motivos internos. Em todos os casos requer o acompanhamento especializado, porém os distúrbios e transtornos independem do desejo do indivíduo, sendo necessário a intervenção especializada para que este alcance seus objetivos.

Como Intervir ?

  • Acompanhamento com psicopedagogo – Este profissional vai orientar nos estudos em como se apropriar dos conteúdos escolares, treiná-lo para desenvolver o raciocínio; além de realizar uma escuta sensível identificando outras dificuldades e também a maneira como o aluno aprende.
  • Acompanhamento com fonoaudiólogo – Em caso de crianças com problemas na linguagem.
  • Acompanhamento com Terapia  Ocupacional –  Proporcionando melhorias nas atividades motoras de uma criança que têm problemas de escrita.
  • Acompanhamento médico – Seu médico pode indicar medicamentos que traga melhorias para a concentração e a aprendizagem do indivíduo. 

Referências Bibliográfica:

Transtorno de Aprendizagem – Da Identificação à Intervenção. Jack M. Flecher, G. Reid Lyons, Lymn S. Fuchs, Marcia A. Barnes. Editora ARTNEA 2009