dia internacional das pessoas idosas

São muitas as mudanças que ocorrem no decorrer de nossas vidas, por vezes trazem satisfação e outras nem tanto, contudo para cada mudança é necessário um aprendizado, uma superação ou simplesmente uma nova perspectiva. 

O assunto de hoje não é apenas falar de  mudanças, mas falar daquelas  que ocorrem em cada um de nós a partir do momento que sentimos o impacto do tempo, sim,  envelhecer sem dúvida nenhuma não é uma tarefa fácil porém a partir da maneira como encaramos, pode se tornar algo inovador que proporciona grandes experiências e novas descobertas.  Apesar dos grandes desafios que o idoso enfrenta, sempre é possível viver novas histórias e conquistar novas realizações.

Hoje comemoramos o dia internacional das pessoas idosas,  data  criada pela ONU em 1991  e entre os objetivos para a criação deste dia foi considerado a  necessidade de se fazer reflexões  a respeito dos direitos dos idosos. Em nosso país foi  criado uma lei específica. Lei nº 10.741 de 1 de outubro de 2003, Estatuto do Idoso. Esta lei visa  garantir direitos e proteção aos idosos.

Art. 5° Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade.

Segundo o site do Ministério da Saúde, no Brasil  os idosos representam 14,3% da população, ou seja, 29,3 milhões de pessoas.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) classifica como idosos as pessoas com mais de 65 anos de idade em países desenvolvidos e com mais de 60 anos nos países em desenvolvimento. Entre os objetivos da  ONU se destaca a necessidade de  chamar a atenção para as desigualdades que ocorrem na vida do idoso, desvantagem essas que afetam a vida da pessoa idosa em várias esferas, garantir políticas eficazes que garanta oportunidade ao trabalho levando em conta suas condições, promovendo proteção  social, possibilitando acesso a cobertura universal da saúde e trazendo uma reflexão sobre as práticas e referências negativas que se fazem a respeito do idoso que por vezes demonstra, preconceito, estereótipos, discriminação e exclusão.

Para alguns o idoso é alguém que é visto como algo ultrapassado é associado a inatividade, improdutividade  e a aposentadoria, sendo esta não apenas no aspecto de fim de jornada do trabalho, mas de fim de projetos, sonhos, realizações, e produtividade. Embora todos esses olhares sejam equivocados, o idoso precisa sim de cuidados e de pessoas que lutem pelos seus direitos, porém suas necessidades e suas particularidades não o definem; o idoso é sem dúvida um agente capaz de produzir para o crescimento do país e da sociedade. É  capaz de ser inserido no mercado de trabalho, na vida acadêmica, de se  relacionar, construir , projetar  e conquistar ideais. 

O maior desafio do idoso em nossa sociedade é o preconceito!

O idoso tal como qualquer outro individuo não perde a capacidade de aprender, se relacionar e gerar resultados em seus objetivos.

Referências Bibliográficas :

https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/70326/672768.pdf?sequence=2