Função Executiva

É formidável falar sobre desenvolvimento humano e como ele se inicia desde a infância. Percorrer este assunto nos leva a compreender as habilidades que são construídas ao longo do tempo e como podemos nortear este processo na infância de nossos filhos e alunos.

Levando em consideração o tema escolhido irei trazer o termo função executiva no singular para que não haja ambiguidade conceitual e confusões.

Mas o que é Função Executiva?

É um conjunto de habilidades que proporciona ao indivíduo a capacidade de realizar um planejamento   visando alcançar uma meta. Na realização desta proposta o indivíduo realiza uma organização mental onde irá refletir sobre quais as atitudes devem ser tomadas, e o que será necessário para alcançar seu objetivo, os recursos que serão utilizados, as prioridades a serem executadas e os posicionamentos que deve ocorrer para alcançar as suas ambições.

Tal função é semelhante ao controle de tráfego aéreo em um aeroporto que ajuda aviões aterrissarem e decolarem com segurança em diferentes direções, habilidades de função ajudam nossos cérebros a priorizar tarefas.

Parece complicado?

Claro que não em outras palavras função executiva é a habilidade de fazer um planejamento e alcançar seu objetivo, os detalhes que fazem parte deste processo ocorre com o tempo, pois ninguém nasce pronto; ao longo do tempo é construído essas habilidades as quais se iniciam nos anos iniciais.

Quando aparece dificuldades na função executiva no período da infância significa que será necessário trabalhar as dificuldades que se apresentam quanto ao planejamento, organização, controle emocional, resistência as frustrações, memória e concentração.

A função executiva deve ser trabalhada a partir da primeira infância, visando promover na criança as habilidades essenciais para se ajustar as situações, condições e comportamentos para ter êxito em seus projetos.

Os cientistas se referem a estas habilidades como função executiva de autorregulação

A autorregulação é a capacidade de ter autocontrole, refletir sobre suas atitudes, e controlar suas emoções.

Quando é realizado um trabalho a partir dos anos iniciais, se eleva a possibilidade de construir um adulto com um bom desenvolvimento pessoal e interpessoal. Logo as dificuldades de autorregulação quando não trabalhadas podem evoluir ocasionando problemas nos relacionamentos sociais, transtornos emocionais, levando a depressão, impulsividade e agressividade.

A autorregulação é a arte de controlar seu próprio comportamento, e não se deixar levar pelas emoções ou pensamentos, é a capacidade de ir em frente mesmo quando as coisas não vão bem ou as circunstâncias não são promissoras.

Estudos identificam as regiões do cérebro envolvidas com o processo das funções executivas, destaca-se a importância do córtex pré-frontal, área cortical, localizada na parte anterior do cérebro. O desenvolvimento dessas regiões pré-frontais favorece a aquisição de habilidades.

A contribuição dessa função para a vida escolar dos alunos é fundamental, caso não tenha sido construída ao longo do tempo, deve-se se iniciar a partir de se identificar as ausências das habilidades que serão necessárias para sua vida acadêmica e pessoal; e para que isso ocorra de forma satisfatória a união de escola com a família é algo imprescindível. Nós temos o papel de apoio, ou como um andaime, para o desenvolvimento dessas habilidades, primeiro ajudando a realizar atividades desafiadoras logo após, se recuando gradualmente, para que eles possam realizar atividades de forma independente, aprendendo com seus próprios erros, superando suas dificuldades, e construindo sua autonomia e autoestima .

Portanto, proponha atividades que seja de possível realização para a criança de acordo com sua idade, mas que a leve a se planejar para resolver a situação .

Construa um ambiente onde seja possível a realização de atividades domésticas que envolva, organização e planejamento, forneça uma rotina, coloque disciplina, construa o entendimento de limites.

Nunca realize uma atividade que cabe a ela fazer, tal como organizar os brinquedos ou guardar algo na gaveta .

Deixe-a escolher o que vestir e a se vestir sozinha, caso apresente alguma dificuldade ajude-o mais o incentivando a realizar a tarefa por conta própria.

Orienta-a a colocar seus próprios sapatos e amarrar os cadarços.

Escolha brinquedos que possam contribuir para a aquisição da função executiva, tal como: quebra-cabeça, jogos de memória, brinquedos de pareamento, utilize recursos, visuais, leitura, jogos de raciocínio lógico, entre outros, a contribuição de um pedagogo ou psicopedagogo contribui para nortear o processo. Tais recursos contribui para a aquisição das habilidades cognitivas.

Habilidades cognitivas são um conjunto de habilidades, que são aprendidas em diferentes graus, conforme um individuo cresce e se desenvolve mentalmente. Exemplo: atenção, processamento visual, processamento auditivo, memória de trabalho, memória de longo prazo, logica, razão e velocidade de processamento das informações.

Atividades para melhorar as habilidades cognitivas:

  • Realizar atividades de esporte.
  • Combinar atividades físicas com o hábito de estudos.
  • Apreenda um idioma.
  • Procure uma atividade de estudo ou física que gere prazer.
  • Se possível realize algo novo.
  • Realize caminhada pois contribuirá para a circulação do sangue.
  • Realize uma atividade cerebral, como quebra cabeça. jogue xadrez ou faça atividades de raciocínio lógico.

Referências Bibliográficas