Relacionamento e Afeto

A importância da afetividade para o desenvolvimento emocional
A importância da afetividade para o desenvolvimento emocional

Sabemos que se relacionar é um grande desafio nos dias de hoje, ocorre dúvidas, incertezas e quando se trata de nossas crianças as nossas inseguranças aumentam. Vivemos em uma época que são constantes as denúncias de pedofilia, abusos e maus tratos com crianças, idosos e mulheres e porque não dizer de homens também, pois a vítima pode estar em qualquer um dos lados.

Todavia nesse momento quero falar da relação das crianças com os pais, parentes e professores, pois a construção dessas relações contribuem para a formação do caráter e de como encarar a vida. Além de contribuir para uma sociedade justa e equilibrada. Devemos sempre nos preocupar como estamos preparando os nossos filhos para o futuro e como estamos contribuindo com o mesmo .

A contribuição para essa formação implica em desenvolvermos o hábito, do bom dia, com licença, por favor, esperar a vez entre outras coisas. Se relacionar diz respeito a não apenas aproximar-se, mas a lidar com o outro, respeitando, sendo gentil , procurando ter empatia, respeitando sempre o modo de pensar, a limitação de cada um e as escolha que cada pessoa faz para si.

Ensinar a criança desde cedo a se relacionar significa fornecer um ambiente favorável, não apenas em casa, mas também na escola e nos espaços de convivência.

Em meu discurso não há espaço para fórmulas mágicas estou falando do dia a dia, daquilo que nos ocorre e guardamos em nosso arquivo emocional que por sua vez é aberto cada vez que algo não vai bem e de como tudo isso nos afeta. Ensinar as crianças a lidar com essas emoções é importante, pois o que ocorre em seus primeiros anos da vida fará diferença por toda a sua vida.

Em casa, no convívio com a família, na escola ou na relação com os colegas, temos que dar suporte aos nossos pequenos, se relacionar sempre é um grande desafio.

Mas, e a correria da vida? O trabalho? A escola ? Os compromissos? Como lidar com todas essas questões e ainda assegurar que estamos fazendo o melhor?

Realmente corresponder a todas as solicitações da família, do trabalho e principalmente dos filhos não é uma tarefa fácil. por isso construir vínculos é fundamental. Essa preocupação deve ser da família, da escola, dos amigos e todos do seu contexto social , pois o conjunto de todas as pessoas envolvidas, contribuirá para a formação dos filhos e da sociedade.

Trabalhar o fortalecimento de vínculos no ambiente familiar é algo que deve ser realizado diariamente; procurando sempre introduzir atividades que levem todos a participar e interagir. Participar das brincadeiras com os filhos no período da primeira infância e fundamental, pois é nesse período que contribuímos com a formação de valores é nessa época que se estabelecem as bases para o desenvolvimento físico, mental e emocional do indivíduo. Atividades como assistir os programas que eles gostam, prestar atenção em seus assuntos, demonstrar que estão sendo ouvidos contribuirá para a sua formação.

Na adolescência é imprescindível estar perto, realize atividades juntos, vá ao cinema, façam atividades lúdicas , coloque eles para ajudarem nas tarefas de casa, vejam fotos e vídeos, não esconda suas emoções chore , ria se emocione com eles.

A IMPORTÂNCIA DO CONTATO FÍSICO

Segundo o site da veja pesquisa realizada por americanos com 125 recém-nascidos, diz que o toque aumenta a atividade cerebral. Para os recém nascidos o toque ajuda a moldar as reações do cérebro, essas conexões são fundamentais para as conexões sociais e emocionais.

O toque trás proximidade, constrói vínculos, quebra barreiras e aproxima as pessoas. A beleza do toque traz uma explosão de emoções seja entre um casal , amigos ou pais e filhos. O toque vai aonde as palavras não alcançam.

Propiciar um ambiente para os filhos é fundamental para que ele se sinta acolhido e desenvolva segurança e credibilidade. Lembro-me que quando criança bastava minha mãe tocar em meus machucados que a sensação que tinha era de alívio da dor. Uma coisa é fato independente das terapias e massagem realizadas o toque movido pelo afeto traz qualidade de vida.

O CONTATO E O AFETO

Henri Wallon (1879/1962) nasceu e morreu na frança. Entre toda a sua contribuição para psicologia, filosofia e medicina, deixou um legado no entendimento de afeto e cognição. Ele afirma que é impossível estudar apenas um aspecto do ser humano ( afeto, cognição e motor) .

Para fundamentar sua tese ele se aprofundou na neurologia, psicopatologia, antropologia e psicologia. Wallon elege a observação para compreender todos os aspectos do desenvolvimento infantil.

Para Wallon (1968) as emoções permite as crianças percebam a vida psíquica pois aproxima do outro e introduz desdobramentos que dão origem as condições da consciência e da importância do toque.

Segundo Wallon a evolução depende da capacidade biológica e de como o ambiente o atinge; ele diz que a criança nasce com o equipamento orgânico mais é o ambiente que vai contribuir para que ocorra o desenvolvimento.

Portanto, o ambiente e às expressões de afeto dentro de uma relação saudável é fundamental para a criança.

O ambiente social da criança determina a sua existência e fornece o primeiro meio de satisfação das suas necessidades

De acordo com Wallon a escola têm um papel no meio social e fundamental para o desenvolvimento ele destaca o processo de humanização e da transformação recíproca do sujeito e do meio ( MENDES.2002).

DEDICATÓRIA

Dedico este artigo aos meus filhos os quais desde o ventre os toquei com o afeto de uma mãe que esperava ter seus filhos nos braços, agradeço a Deus por cada momento da infância deles os quais brincamos e corremos, das risadas e lágrimas que compartilhamos. Agradeço por não ter faltado os abraços, os afagos o dia a dia na companhia um do outro. Agradeço por aqueles que estão comigo e por aquele que a tão pouco tempo nos deixou. Ficou a saudade e as lembranças de tudo que vivemos e compartilhamos juntos. Agradeço por não ter faltado a oportunidade de nos abraçar e mostrar o amor que tínhamos um pelo outro.

Referências Bibliográficas

  • GALVÂO, Isabel. Henri Wallon: uma concepçãodialética do desenvolvimento infantil., petrópolis, RJ Vozes, 1995
  • 2001.BOCK,A;FURTADO,O;TEIXEIRA,M.Psicologias uma introdução ao estudo de psicologia.13ºedicão.ed.Saraiva,2001
  • Contato físico pode melhorar o desenvolvimento cerebral dos bebêsveja.abril.com.br/saude/contato-fisico-pode-melhorar-o-desenvolvimento-cerebral-de-bebes/